A joia interior XI

É o anjo do Senhor, é luz racional, é sabedoria divina, é razão, sobriedade, é o caminho, é a verdade, é a vida eterna da minha consciência, é o espírito santo de Deus, é tudo que um coração pode ter, querer e desejar. Ter amor verdadeiro, amor em que o tempo não há, não se destrói, não fica velho, amor que não emburrece, não atrapalha, não esmorece, amor que ultrapassa os meus limites desconhecidos, barreiras que ergui limitando o meu espaço, minha liberdade, meu caminhar. A voz da experiência sempre diz que o caminho para eu herdar a vida eterna do espírito é radical, não se atravessa o deserto sorrindo, brincando, sentindo o frescor do ar-condicionado refrescando a pele, não! O calor do sol da purificação queima, é como se minha carne se desprendesse do meu corpo e isso não causa risos, mas dores internas de uma luta cravada e o meu frescor, alento é o Senhor, das suas mãos vem o meu alimento que mata minha fome, da sua fonte vem a água que bebo e sacia minha alma, água viva, água pura que faz a razão agir dentro do meu coração, a sobriedade enriquecer e florir os meus pensamentos e por mais que às vezes as ações seja pelo ímpeto carnal estou sempre disposta a rever meus conceitos para enxergar e corrigir, isto não é fácil, pois a carne quer se levantar de todo jeito, mas a vida dentro de mim se ergue mais alto e me mostra o seu domínio próprio, sua força e vontade de permanecer caminhando de pé e cada obstáculo brigado e vencido é um tijolinho a mais que assento na minha construção, onde a base vai ficando firme, resistente até o término da obra, mas é muito chão a percorrer até o detalhe final, mas quero ser com Deus em todo tempo da minha vida, quero aceitar tudo que for para o meu bem, para a destruição do reinado carnal, do império abusivo, para que o governo do príncipe da paz se assente e reine a cidade santa, a herança que Deus prometeu aos seus filhos, Ele é joia e escudo que ilumina e protege os seus…

Por Maria Lúcia

Deixe um comentário