Amor

Todo mundo se engana com os sentimentos e faz lambança no entendimento, o amor é o sentimento da compreensão, é a verdadeira empatia, quem se doa a Deus dá a vida por um irmão, quem gera em si o filho de Deus anda por ele naturalmente, como uma mulher grávida que anda por seu filho gerado em seu ventre, e a partir da sua gestação tudo muda e nunca mais ela é a mesma depois que se torna mãe, pois ela se doa de verdade, por amor a este filho, ela morre para sua vida de antes e nasce uma mãe. Por amor a Deus e ao próximo os nossos irmãos do passado também se entregaram a morte, não se importando com o que iria lhes acontecer, pois o amor não é um sentimento físico de paixão como muitos pensam, pois a paixão ramifica inúmeros sentimentos doentios e muitos até matam dizendo ser por amor, e sem compreenderem o significado do verdadeiro amor, destroem a vida do seu próximo. É um sentimento mesquinho de querer tomar posse da vida do outro, de prender o outro as suas próprias vontades e isso não é amor. Não tem como estimar o valor do amor, pois ele não se vende, não tem barganha, não se surrupia, é uma coisa doada, é o sentimento mais puro que brota do coração, o amor não visa nada em troca, mas é o sentimento de se entregar a Deus e realizar o seu propósito sem visar nada em troca justamente por amar a Deus e o seu propósito, e não ter má intenção no coração como se estivesse fazendo algum favor a Deus. Quem ama não visa a troca, mas visa a satisfação de se doar a própria razão de existir, como o meu irmão José disse: se eu cair no inferno, cairei feliz porque realizei a vontade do meu Criador Deus, isto é, não podemos fazer a vontade de Deus com a vida eterna em mente, mas com a intenção de somente cumprir com o propósito de Deus. É como meu irmão Jesus que estava passando pelo caminho do gólgota e disse: Pai se possível, afasta de mim este cálice, mas que seja feita a Tua vontade e não a minha, é a vontade de Deus que importa e não o que a consciência ganha em troca, pois isto se trata de segundas intenções. Deus nunca desampara a consciência que o serve, o espírito de Deus está constantemente com suas mãos estendidas a nós esperando cada consciência conhecer e conscientizar a sua existência e é a própria consciência que desampara o filho de Deus dentro de si mesma, mas o respeito ao senhor é o princípio da sabedoria e as decisões devem ser sóbrias e serenas sempre a favor do espírito, nunca ferindo a dignidade de Deus, não é o senhor que deve ser desprezado e sim as vontades da carne dentro de cada consciência.

A voz dos anjos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − 6 =

Categorias

Postagens Rescentes