Canções fúnebres

Cordas que não tocam mais

Eram tão afinadas

Tocavam o coração

Ritmos alucinantes

 

Dançavam de emoções

Cantava a vida num só refrão

Um show de maravilhas

Descia do céu o seu dom

 

Falava a língua dos anjos

Fazia arder o peito

E dos olhos as lágrimas caiam

Canções a Deus

 

Mas o espírito foi embora

E ninguém percebeu

Hoje tenta bater lata

Mas perdeu o ritmo do amor

 

Antes cantava a vida

Hoje canta a morte

Antes caminho do céu

Hoje caminho dos infernos

 

Canções fúnebres

Como no final das procissões

Ladainhas compostas

O tic tac dos relógios

 

O fim das ampulhetas

Cadê o som da vida?

Ninguém toca mais o cajón?

O silêncio dos mortos

 

Foram-se os dias bons

Acabaram-se os dias das colheitas

O meu coração se entristeceu

E eu fiquei aqui num canto jogado, como um violão quebrado

 

O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 8 =

Categorias

Postagens Rescentes