Cegos no entendimento

Não se pode pegar o rio com as mãos, mas pode mergulhar em seu mar e manter suas águas cristalinas através do amor. Que suas ondas sejam transparentes, expelindo tudo aquilo que não faz parte de si, deixando sobre a areia as impurezas do que não nos pertence, devemos ouvir, pois o espírito ensina, e a consciência que o escuta não erra em nada. A força da potestade age constantemente, nós não a vemos, mas a sentimos aos derredores querendo tragar, engolir e devorar nossa consciência, é como um redemoinho sugando para baixo tudo que vê pela frente, e se não tiver visão racional e gana para buscar a altitude da vida, a consciência se perde nas ciladas da potestade. Por isso o zelo e o cuidado, um trabalho minucioso, apenas 0,01% pode parecer insignificante, mas dentro do propósito de Deus isso se torna um grande problema, e não terá mais volta. A regra é clara, qualquer um que te induzir a andar no caminho do espírito é de Deus, e qualquer um que induzir a tua consciência andar pela carne é do diabo, mas em todas às vezes a consciência viaja em seus pensamentos, divaga em recordações, cria situações, flutua nas suas ilusões, e não presta atenção em sua vida, no espírito santo de Deus, que pulsa seu coração. Por isso me pergunto: de que vale algo desconhecido?

Estamos dentro de uma grande sabedoria, mas quem a conhece? Vemos que neste mundo, ninguém. Nós ainda tentamos levar a palavra da vida, mas quem se importa? Levar as boas novas do espírito não seria uma tarefa difícil, se cada consciência não revivesse o passado, mas remoem-se por dentro, e se prendem ao nada. Falar desta verdade é uma luta, você será ignorado por ser diferente, em ambientes onde todos são iguais, não será compreendido, e zombaram de seu clamor. Uma situação esquisita, nem mesmo Deus entendeu, sabemos que cada consciência é única, e cada uma tira as suas conclusões do que acha conveniente para si, mas devemos nos atentar para o propósito da vida, este não pode ser ferido em hipótese nenhuma. Uma ambiguidade em meu coração, de um lado meu coração está contrito por ver o mundo, mas por outro estou tranquilo, pois sei minha razão, e sei o que devo fazer, pois o compromisso que o Criador-Deus tem comigo, é por comida e água na mesa, roupa no corpo e moradia. Compromisso que eu tenho com Deus, realizar a sua obra na minha consciência e ser ético com meus irmãos. Uma relação perfeita, tem coisa melhor?

 

Por todos os irmãos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + 6 =

Categorias

Postagens Rescentes