Consciência sã XIII

A sanidade só provém de uma consciência sã, uma virtude, um equilíbrio mental que em muitos momentos nos salva, a paz da serenidade, a consciência ligada ao Senhor só terá virtudes. A sanidade certamente não provém da carne, sabemos que a carne nos afasta da sanidade, nos guia aos tormentos e nos prende nas ambições sem fundos, “viver” em busca de uma melhora, talvez seja uma vida ou talvez uma sobrevivência atrás de prazeres momentâneos. Cadê a nossa sanidade, quando veremos que isso não terá um final feliz? Eu não desejo o meu vazio, nem o de ninguém, porém não posso mudar o final dos outros, mas e o meu? Eu tenho a possibilidade! Enquanto não houver mudança interna, não haverá transparência nos atos, uma consciência sã não se importa com o que os outros irão pensar, pois quem na sanidade ligará para opiniões de terceiros? Se estou com o anel não ligo para quem finge estar, devemos usar dessa virtude para o nosso bem eterno, realizar o propósito do Senhor com muito êxito, não podemos falhar, pois imagine como uma consciência sã irá pensar de si mesma por ter fracassado?

Por Arthur Campos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − sete =