De mim para mim mesmo XIII

Digo a mim mesmo para não fraquejar, não recuar, descobri a verdade em mim, e com o espírito eu quero voltar, voltar ao céu e ser livre, livre de ver e sentir todos deste mundo em busca do nada, livre da crueldade dos mortos, da insanidade dos tolos, palavras não atingem os corações desses que tem a mente vazia, entra em um ouvido e sai pelo outro, todos esses preferem um vazio eterno em troca de um bolso cheio, ou de um ego preenchido, nada que é dito os atingem, ações só os deixam surpresos, a morte não mostrou a eles sua intenção? Ela desvinculará a consciência da carne a força e dividirá o eterno do efêmero, a vida partirá e nem você, nem ninguém com a carne ficará, mas o que adianta falar? Tudo que falo ou faço é de mim para mim mesmo, mesmo expondo minha voz pouco, digo muito para mim, dentro de mim tenho muitos debates, debates que me fazem enxergar tudo com mais clareza, e venho me alimentando cada vez mais, mas tenho que me fortificar ainda mais, pois quero me alimentar do sólido e me tornar ainda mais forte, pois sou apenas um soldado do reino de Deus, e devo me tornar um guerreiro, tenho que estar sempre atento para não recuar, pois com um passo em falso, cairei em um túnel de armadilha, caso for uma armadilha que eu não conhecia ainda tenho como retornar ao caminho da vida, mas cair em uma armadilha que já conhecia não terá como escapar, e digo a mim mesmo para não cair em nenhuma das armadilhas deste mundo, pois tenho o poder de enxergar tudo que está certo e o que está errado, e assim vou caminhando no caminho da vida.

Por Luiz Gustavo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + 8 =