Destrói a mente

Consciências insanas, pensamentos vãos de como as consciências queriam que fosse, mas não é, e quando voltam para a realidade, machuca suas almas. A realidade é fria, a tragédia da morte, o vazio eterno, um ser inútil, vive só de fantasias, no faz de contas, um positivismo falso, uma gratidão vazia, um mundo perdido. A vida de te acena, mas você não vê, não vê com os olhos da sabedoria, não entende pelo raciocínio e anda pelos seus devaneios. Um mundo de faz de contas, um mundo de ilusão, uma consciência insana que anda na direção do vento, falácias, falácias e mais falácias, acredita no errado e não aceita a verdade.

Que mundo triste é este que vim parar, tanta sabedoria envolvida para a consciência não enxergar, um Criador a nossa porta e a consciência fechada. Eu saio pelas ruas a procurar uma alma viva para conversar, mas volto para casa decepcionado e só encontro zumbis que não tem o que falar, era para todos falarem do propósito da vida, mas todos se curvaram diante do mundo, um mundo de aparências, um sistema diabólico, eu me fecho em minha casa e me ponho a chorar, falo o tempo todo comigo mesmo. Até que de vez em quando Deus vem para conversar, mas não tenho nada para falar, ninguém cuidou da sua plantação e quando eu cheguei não tinha mais nada a colher, as pragas do engano varreram a terra e não tem como matá-la, converso muito com Deus para ver o que poderia ser feito, mas nem Deus vê nada a fazer, estamos diante do fim, os últimos acontecimentos, minha voz embargada, eu não sei o que dizer igual os amigos de Jó diante da sua miséria, a dor é muito grande, estamos falando de um propósito, de um vazio eterno e ninguém está se dando conta disso.

Trata-se de uma verdade, mas as consciências estão achando isto ou aquilo e que não acontecerá, porque o amor de Deus é incondicional, mas quando verem que tem uma condição, já será tarde demais. Hoje, que seria o tempo de olhar, ninguém vai atrás, uma correria desenfreada atrás do nada e eu aqui só esperando a morte chegar.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + dois =