Falar pelas ações

As palavras agradam os ouvidos néscios, que não param para avaliar e ponderar o que cada palavra tem a dizer, não analisa, não vê profundamente de onde vem a origem dela, e quem está transmitindo se é realmente o que se vive. O falar muito sobre um determinado assunto não quer dizer absolutamente nada, tendo em vista que todos podem adquirir tal conhecimento para poder retrata-lo perfeitamente. E dentro desse contexto que estou descrevendo falando dentro do propósito de Deus é a mesma coisa, pois o falar agrada muito os ouvintes desde como você esteja falando, o que mais se vê são palavras de lisonjas por todos os cantos, mas isso não agregará em absolutamente nada, pois do que adianta falar para agradar os ouvidos dos ouvintes sendo que eles não se importam com nada, e desprezam essa palavra, não chegam degustar um til do que é falado, se torna algo infrutífero dentro da consciência e não gera fruto algum. O melhor remédio para sanar o mal é a verdade, não fazer média com absolutamente ninguém, mas tendo consigo a sabedoria necessária para falar, pois o raciocínio é para isto, para poder ponderar e não falar pelos cotovelos, ou falar só asneira que chega espantar quem está ouvindo. Que estejamos mais preocupados com os nossos atos e vivência do que ficar olhando para outrem, pois sua própria consciência perde tempo, e não se vê dentro desse propósito, não se analisa, não se corrige, não progride em nada. Por isso a ação em conformidade com o que falamos diz muita coisa, se reflete por si só, não precisamos gastar palavras com absolutamente ninguém. Estamos aqui para semear esta verdade nos corações, e tentar de alguma forma ganhar consciências a Deus. Eu não sei a fórmula para que isto ocorra, mas de uma coisa tenho certeza, nossos atos pregam muito mais do que dirigir turbilhões de palavras a alguém, pois o ato que se toma em prol do que vivemos pode gerar tal curiosidade em uma consciência que ela venha a mudar por dentro sem ao menos percebermos. E isto ocorre lá dentro de cada consciência no íntimo, não será palavras de lisonjas agradáveis aos ouvidos dos ouvintes que ganhará alguém, mas sim ela mesma sentir e perceber que está dentro de uma verdade e que deve fazer acontecer por si mesma este propósito, e que ninguém consegue fazer por ela, pois é algo totalmente individual.

Por Ítalo Reis

Deixe um comentário