Fonte de água viva XV

Fonte eterna, fonte vívida, fonte que transborda, inunda a alma que bebe da fonte da vida, fonte que mina a salvação, fonte transparente, fonte do céu, um lago doce, um cristal belo, uma cascata que chora suave e escorre gotículas de pérolas preciosas, um mar que não se vê o fim, mas o além é o seu lugar, por trás das colinas se encontra o cavalgar da serenidade, as pegadas marcadas que ensinam os pés a caminhar sobre as águas límpidas, acima das montanhas é onde está o cavaleiro do reino que veio a galope em um jumentinho em busca da sua consciência perfeita para se eternizar na completude consciente de Deus, onde só os nascidos no espírito podem atravessar o portal da eternidade, a porta que os anjos do Senhor guarda, pois candeia sem óleo não ultrapassa as fronteiras dos anjos, pés sujos não entram na tenda santa do Senhor, por isso sobre o monte retirei as sandálias dos pés para o manifestar da glória de Deus, das suas palavras, do seu propósito e foi pelas mãos de Deus que a venda que cobria meus olhos foi retirada, foi pela luz que se manifestou em mim que o breu foi dissipado, foi pela ligação de constelações que  enxerguei o meu eu infinito, o meu eu perpétuo e o meu eu que morre, foi pelos olhares da vida que me encontrei em um abismo e foi pelas águas divinas que renasci e submergi do profundo engano. O Senhor é a fonte da água viva que nunca seca, o espírito santo de Deus é o pão que sacia os famintos e a água que mata a sede dos sedentos, está em mim a fonte da água viva, dela bebo para minha alma curar para eu poder voltar ao Paraíso, para a casa do meu Pai.

 

Por Maria Lúcia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + dezesseis =