Força estranha

Que Homem há que viva e não veja a morte, ou que livre a sua alma do poder do mundo invisível? Realmente é uma força como a da gravidade, que te empurra para baixo, é o tempo todo você se esforçando para se manter em cima e a força te empurrando para baixo. É como escalar uma montanha, que devemos tomar cuidado o tempo todo, pois o menor vacilo caímos.

Nós nascemos neste mundo e produzimos a consciência, a consciência é com um campo aberto, um campo invisível aos olhos humanos, este campo tem a força do bem que atua pelo espírito e a força do mal que atua pela carne, a força do bem que atua pela vida e a força do mal que atua pela morte. Nós sabemos que a vida é do espírito e que a carne não tem vida em si mesma, e é o espírito que já dá vida a ela, mas essa vida é temporária, pois sabemos também que a qualquer momento o espírito volta a Deus que o deu e que a nossa carne volta ao pó como era, mas enquanto o espírito dá vida a carne, existe essa força no campo invisível que atua pela carne e que sempre vai empurrar a tua consciência para a carne, e esta força atua o tempo todo. Se a tua consciência quiser a vida eterna do espírito, ela deve lutar muito para se elevar ao espírito, é uma luta constante e que a carne te pega até nos pensamentos e a consciência passa o dia inteiro pensando pela carne, e é muito difícil uma consciência pensar pelo espírito, e quando pensa é daquele jeito, logo volta a pensar pela carne novamente. Você vive num mundo carnal e a carne tem que matar todos os seus anseios para se satisfazer e é ela que tira quase todas as consciências da vida eterna do espírito, porque a consciência não consegue se manter no espírito, e toda consciência carnal só fala da carne, porque lhe é próprio, e para falarmos do espírito, primeiro devemos posicionar a consciência no espírito, no que também não é uma tarefa fácil.

Pedro disse: amados, peço-vos como a peregrinos e forasteiros que vos abstenhais dos desejos carnais que combatem contra a alma. Quando uma consciência é forte, ela tem domínio próprio, mas normalmente a consciência é como um campo de concentração, que fica presa o tempo todo nas mãos da carne. Pior ainda é quando estão sozinhas, porque juntas somos mais fortes, como disse Judá para o seu irmão Simeão: me ajude a conquistar a minha terra e depois eu ajudo você conquistar a sua. A terra aqui são as consciências, que elas deveriam conquistar pelo espírito de Deus, mas ao invés das consciências se ajuntarem, elas se espalham, daí fica mais fácil ainda para a carne levá-las para o buraco.

Por O teu espírito diz

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + dezenove =

Categorias

Postagens Rescentes