Lei é lei

No mundo existem bilhões de consciências e a grande maioria faz acepção de pessoas, ou seja, quem ela gosta quer perto, mas quem ela não sente afinidade pode ficar bem longe que a pessoa nem liga, nenhuma consciência vê o lado de Deus, mas só visa o seu bem próprio, não veem que é bom para o propósito de Deus, não julgam segundo a sua causa, mas sim de acordo com os seus próprios interesses pessoais. Devemos ter a mente de Cristo e os julgamentos devem ser feitos pelos olhos de Deus e não por nós mesmos, a própria lei de Deus condena ou absolve uma consciência, ou seja, se ela estiver dentro das leis será justificada, mas se estiver fora já esta condenada, pois as leis de Deus funcionam tanto para um, quanto para o outro e não tem como burlar, pois com Deus não existe privilegiados, lei é lei e o que um não pode, o outro também não pode. Enquanto a consciência tem a vida pode andar do jeito que quiser, pode até achar que está por cima da carne seca, mas quando perder a vida do espírito verá a fubecada que caiu, jogou fora a vida e ficou sem nenhum corpo para se manifestar, assinou a própria sentença de morte e andou fora das leis de Deus. As consciências devem servir para o proveito eterno de Deus e não para benefício próprio, nenhuma consciência está no mundo para ser moldada e enquadrada a agradar outra consciência, mas todas devem ser moldadas para o bem de Deus. Nenhuma consciência se preocupa se está indo para o céu ou para o inferno, mas o interesse é que todos a sua volta estejam de acordo com seu desejo, tem que estar do agrado dela, senão, o caldo entorna e fica difícil a convivência e dane-se a vontade de Deus, pois cada um julga de acordo com as suas vontades. Julgar outra consciência é fácil, mas se colocar diante do tribunal de Deus que é difícil e quando a consciência vê que comete o mesmo delito, rapidamente trata de querer amenizar as coisas a seu favor, julgando que com ela a lei deve ser imposta diferente como quem diz: Calma aí meu irmão, vamos rever os conceitos, também não precisa ser desse jeito, deve haver outro modo de resolver esta situação, pensando que no individual Deus vai abafar e passar panos quentes, mas quando é outra consciência que comete o erro, se pudesse até mandaria matar e mesmo que a própria venha se corrigir diante de Deus, fica sem voz, pois perdeu a credibilidade da postura que dantes tinha e os seus acusadores ficam como que torcendo para que seja consumada a sua condenação escondendo-se cada um atrás dos seus próprios deslizes, achando que no dia do juízo não sentarão na cadeira do réu, cuidando que Deus tem privilegiados.

Voz dos anjos

Katia, Vaninha, Luiza, Patricia, Lauro, Zeca, Luiz, Milena

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − oito =

Categorias

Postagens Rescentes