Metamorfose necessária

Eu descobri de verdade a razão da existência humana, mas neste mundo ninguém está interessado nisto. O ser humano nasce neste mundo, cresce, produz a consciência, vive até morrer como criação, joga a consciência que produziu no vazio eterno e acabou. Ele não sabe o que fazer para dar sequência a vida depois da morte, isto é, não conhece o propósito da vida. Pior é que ninguém quer saber o que de fato veio fazer aqui, e se você vai falar, ninguém tem tempo para te ouvir. Se entretém tanto com esta vida aqui do mundo, que nem querem saber se tem outra vida fora dessa, principalmente porque a outra vida não está na carne, julgam que até vão voltar a carne novamente, dizem que vão sair dos túmulos e o espírito dará vida a carne novamente e vão viver na carne eternamente, umas no céu e outras neste mundo mesmo. Não acreditam que tem que passar por uma metamorfose existencial dentro da consciência, muito menos que a consciência tem que coabitar com Deus para a inseminação do seu espírito nela, menos ainda as consciências pensam que tem que passar por uma gestação espiritual, e que depois da morte, o corpo carnal não serve para mais nada. Ninguém imagina que na carne somos uma criação descartável e que o nosso corpo eterno é o espírito de Deus, ninguém vê que já fomos um espermatozoide e que já passamos por uma metamorfose na barriga das nossas mães, e agora ninguém imagina que temos que passar por uma segunda metamorfose dentro da consciência.

Trata-se de uma metamorfose existencial, vamos deixar a carne e assumir o espírito por pessoa e esta transformação se faz necessária pela vida eterna das nossas consciências. É a consciência que produzimos como criação que dará sequência a vida com o espírito, a carne, morreu uma vez, nunca mais volta à vida novamente, é o mesmo que imaginar que a borboleta volta a ser uma lagarta novamente, ou que o ser humano volta a ser um espermatozoide novamente. Não existe reencarnação, nem ressurreição na carne, mas a ressurreição se faz no espírito e não neste mundo, mas sim no plano do céu. A vida eterna do espírito ou o vazio eterno do nada se faz automaticamente no dia da morte, no dia em que se diz: o pó volta ao pó como era e o espírito volta a Deus que o deu. Se a consciência estiver ligada à carne, vazio eterno automático, e se ela estiver ligada ao espírito, vida eterna também automático, não passaremos por nenhum julgamento, muito menos purgatório, e o nirvana é o vazio eterno de tormentos.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + cinco =