Mundo cruel

Uma coisa esquisita, uma sensação de prisão, um mundo cheio de mosquitos, cheira mal. Era para ser uma coisa, mas ninguém entendeu, dá nojo andar pelas ruas, caras feias, mal-humoradas, você não conhece ninguém e parece que ninguém gosta de você, nem um sorriso verdadeiro, mas só os sorrisos dos hipócritas vendedores das lojas. Um mundo extremamente interesseiro, ninguém olha para você com amor, mas é um suportando o outro, não tem um só objetivo, ninguém caminha na mesma direção, mas cada um só vê o seu lado, eu tenho vontade de sumir, desaparecer, ninguém conhecido saber onde estou. Conhecer o propósito de Deus neste mundo é terrível, você não encontra um para falar do assunto, não existe diálogo, coisas novas, a mesma cabeça, a mesma busca, mas todos têm esta vida aqui do mundo como o prato principal, e a vida do espírito fica jogada para os cantos.

Eu choro muito a minha dor, penso sozinho, raciocino sozinho, me sinto sozinho o tempo todo, nada de novo que venha do externo, cheguei num ponto que só espero traições. Perdi todo aquele meu entusiasmo de quando jovem, achando que todos entenderiam, mas sabe a sensação de quando você está numa estrada com o carro quebrado sem sinal e não passa ninguém para te ajudar? Esta é a sensação que sinto o tempo todo neste mundo, parece que a coisa está emperrada, não vai para frente e nem para trás. Você se sente incapaz, impotente, como Davi disse: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas das palavras do meu bramido e não me auxilias? Eu me sinto totalmente abandonado, uma sensação de perda, de incompreensão, como uma canção que diz: sou eu do meu lado, e mais ninguém. Ser único, sentimentos opostos, sabe quando você está lutando sozinho por um objetivo, por um propósito, como Neemias que com uma das mãos edificava Jerusalém e com a outra lutava contra os que não queriam que edificasse? Você põe um tijolo, vem outro e derruba, você tenta espantar como as moscas, mas elas não vão embora, e parece que elas são mais ligeiras que você, e ficam em cima da carne igual as abelhas no mel.

Eu ando no caminho da vida, e sempre digo: se a tua consciência não quer andar por este caminho, caia fora, mas eles ficam perto só me perturbando, parece até de propósito. Não entendem e querem melar o entendimento, não buscam e querem saber mais que você. O profeta Isaías já dizia: a Terra está contaminada por culpa dos seus moradores, porquanto transgridem as leis, mudam os estatutos e quebram a aliança eterna, e eu fico aqui como a choupana no pepinal, como a cidade sitiada, cercada por todos os lados.

Não há compreensão, não há interesse pelo propósito da vida, ninguém busca por si mesmo, não tem nada de novo, não tem boas novas, mas só ouço dizerem: é verdade, é verdade, e quando vão embora, dizem: lá só tem mentiras. O que um asno desse entendeu?

Por o teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − treze =