Não vale a pena

Poder de julgar, de avaliar, de ver se vale a pena. Quanto tempo perdido atrás do nada, alma ferida, machucada, dor no peito, anos para se curar, para se restabelecer, para levantar de novo, traumas na vida, cicatrizes na alma.

O outro não fez o seu papel dentro da sua história, você quis amarrá-lo, mas ele se soltou e foi embora, agora cara de tola, vendo seus desejos minguar. Pensou que ia comer o bode, mas errou a machadada e pegou na corda e viu o bode indo embora, agora voltou para o feijãozinho que jogou fora, matar a fome, fazer o que, esperar outro bode ou se contentar?

Uma vida eterna pela frente, será que vale a pena esperar ou aproveitar esta provisória que já temos nas mãos? Que dúvida cruel, eu estou dentro do que mesmo? Nossa! Que indecisão, o que faço da minha vida? Parece que estou num beco sem saída, passo mal nessa vida da carne e não acredito na vida do espírito, e se tudo isso que vivo for uma tremenda fantasia? Esquisito esta sensação da vida, o que será ela? Eu a vejo, mas não dá para pegar, eu a sinto, mas não acredito nela, será que estou perdendo tempo com alguma coisa? Eu quero andar neste suposto caminho da vida, mas não sei como deixar uma existência que a vejo e sinto por uma que não vejo e nem a sinto? Onde buscar esta fé no meio desta escuridão? Será que não estou falando com duendes?

Quantas incertezas, quantas dúvidas, estou perdida, não posso ter prazeres carnais, tenho que me resguardar para o espírito, mas de verdade mesmo sou igual a todo mundo, não sei se isto existe.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − quatro =

Categorias

Postagens Rescentes