O cisco e a trave

Logicamente este texto se refere a frase que Jesus disse: e porque atentas tu no cisco que está no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho? Ou como podes dizer ao teu irmão: deixa-me tirar o cisco que está no teu olho, e não atentas para a trave que está no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave que está no teu olho, e, então, verás bem para tirar o cisco do olho do teu irmão. Nesta narrativa Jesus quis retratar a pessoa que bisbilhoteia a vida dos outros, sendo que a própria vida está uma merda. Quer corrigir os outros e não corrige a si mesmo, como Paulo disse: você que diz para os outros não fazerem tal coisa, faz pior? Você que prega para os outros não prega para ti mesmo? O livro da lei condena o mexeriqueiro, pessoa que dedica grande parte do seu tempo a falar da vida alheia, que cria boatos geralmente baseados em presunções maliciosas sobre a vida alheia. Jesus também disse: na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus, ouça o que eles dizem, observai, pois, e praticais tudo que eles vos disserem, mas não procedeis com suas obras, porque dizem e não praticam. Eu sempre disse: nós pregamos muito mais com os nossos atos do que com a nossa boca. De que vale você condenar os outros naquilo que você mesmo faz, e muitas vezes pior? Olha só que frase linda: mulher, cadê aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? Não Senhor. Então vais, e não peques mais, pois nem eu te condeno.

Perdidos todos já estão, mas se você ficar condenando as consciências, vai sobrar o que? Muitos dos que me ouviram foram embora, porque as palavras são duras, mas eles mesmos testificam que eu falo por Deus. De que vale falar palavras de lisonjas e a consciência cair no vazio eterno? Todos os dias eu falo, nós estamos dentro de um propósito sábio e este propósito é do Criador-Deus, a nós compete buscarmos compreendermos este propósito e praticá-lo para estarmos na próxima etapa da vida. É em cima deste propósito que devemos conversar e não falar da vida alheia, se não pudermos ajudar uma consciência no caminho da vida, não tente atrapalhar. As minhas palavras são pesadas em cima do propósito de Deus, mas não para difamar a pessoa. Uma certa pessoa me falou uma vez que ficou admirado porque eu não busquei saber nada da vida dele, quem ele era e o que fazia, mas simplesmente falei do propósito da vida a ele. Não importa o que a pessoa faça, simplesmente pregue o evangelho de Cristo, se a pessoa se interessar, ela se corrige. Nós não temos o poder de corrigir ninguém, isto é um trabalho interno, entre a consciência e o senhor dela, o nosso papel dentro do propósito de Deus é só anunciar o Senhor as consciências, o resto é com elas.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − treze =

Categorias

Postagens Rescentes