O nosso pior inimigo

Falando assim ninguém acredita, mas o nosso pior inimigo é o nosso próprio corpo carnal. Nós somos a consciência, a consciência que o corpo carnal produziu, mas na carne somos apenas criações e o que produzimos na carne não é para o nosso uso, mas é para o uso do nosso Criador, de quem nos criou na carne, assim como a escrita da caneta, ela não é para servir a própria caneta, mas é para servir quem a criou. Se a caneta não escrever para quem a criou, ela passa a ser uma criação inútil ao propósito de existir. Para uma criação realizar a vontade de quem a criou, logicamente ela deve estar nas mãos de quem a criou. Uma caneta, por exemplo, só escreve o que a pessoa que está com ela nas mãos quer, se ela estiver nas minhas mãos, ela vai escrever o que eu quero, e se ela estiver nas suas mãos, ela vai escrever o que você quer.

O ser humano foi criado para produzir consciência, e se ele estiver nas mãos de quem o criou, ele produzirá consciência que o Criador quer, mas se ele estiver nas mãos de um inimigo, ele vai produzir consciência do que o inimigo quer. Temos dentro de nós estas duas existências, a carne e o espírito, e se a consciência estiver nas mãos do espírito, ela vai produzir consciência do espírito, se ela estiver nas mãos da carne, ela vai produzir consciência da carne. Por isso na lei está escrito: os teus desejos serão para o teu marido e ele te dominará. Precisa ver com quem a consciência está casada, se com a carne, ou se com o espírito, e assim a carne se tornou inimiga do espírito, como Paulo disse: a carne luta contra o espírito e o espírito luta contra a carne, e estes se opõem um ao outro, para que a tua consciência não faça o que é do querer dela, mas em seguida Paulo disse: se a tua consciência for guiada pelo espírito, ela não cumprirá com os desejos da carne. A opção de fazer as vontades do espírito ou as vontades da carne é da própria consciência, é ela que tem o domínio sobre isto, mas vemos que a carne obriga as consciências, mas o espírito por sua vez, não, na carne somos prisioneiros, mas no espírito somos livres. Fazemos as coisas para a carne por obrigação, mas para o espírito só fazemos as coisas por amor.

Todas as consciências querem ser livres, mas a carne as escraviza, por isso as consciências devem recorrer a Deus para tirá-las da escravidão da carne, mas para isso as consciências devem se entregar verdadeiramente a Deus e confiar Nele. É certo que a carne não vai deixar, mas acredite em Deus e faça tudo que Ele te mandar, pois você já sabe desde hoje que a carne te jogará nos infernos, e morrer por morrer, por que não morrer na carne pelo espírito? Oséias disse: vinde e tornemos ao senhor, porque ele vai nos cortar da carne e vai nos ligar a ele, vai fazer a ferida, mas vai curar, e por fim nos dará a vida eterna lá no plano do céu, e lá você verá que valeu passar pelo sacrifício neste mundo.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − 15 =