O silêncio

O hino da morte, o sono profundo, o vazio eterno. Eu não falo da morte como um dia triste, mas seria a nossa ressurreição no céu pelo espírito, outra fase da vida, outra existência, outro ser. Seria a terceira etapa da vida, onde já passamos a primeira quando éramos espermatozóides, estamos na segunda, que é a fase de ser humano, e lá a frente tem a terceira fase, que é a fase espiritual, onde viveremos a nossa vida plena e verdadeira, gozos profundos seguidos de paz, amor, compreensão, fidelidade, respeito. Mas sempre atento para a morte, porque pode ser também o dia da sua tragédia eterna, a tua consciência caindo no vazio eterno, sem vida, sem um corpo para manifestar, sem a luz do espírito.

A morte está no caminho da carne, não no caminho do espírito, e já temos essas duas existências em nós, tanto a existência da carne como criação e que produziu a nossa consciência, quanto à existência do espírito pela vida. A carne, como todos já sabem, veio do pó, mas o espírito veio de Deus, ele desceu do céu só para buscar a consciência que produzimos como criação, mas para isto, primeiro a consciência deve passar por uma metamorfose, ela deve deixar esse corpo carnal e assumir o corpo espiritual, ela deve se gestar no espírito até a estatura completa do ser espiritual. A consciência vai trocar de corpo literalmente, deixar este corpo carnal e assumir o corpo espiritual, trata-se de um propósito e nós já estamos dentro dele, não é uma questão de a tua consciência querer ou não, ela pode realizar o propósito de Deus nela e ganhar a vida eterna do espírito lá do céu, ou simplesmente pode andar por esta vida carnal e quando a carne morrer, cair no vazio eterno. A opção é de cada consciência, não existe outras alternativas, o caminho da vida é um só, assim como caminho para chegarmos a este mundo também foi um só, e todos conhecem este caminho para chegarmos a este mundo, em que o nosso pai carnal produziu o nosso espermatozóide, inseminou no ventre das nossas mães, nos gestamos por nove meses, e nascemos neste mundo como se vê.

Agora é a mesma coisa para nascermos no céu, só que a nossa consciência agora faz o papel do ventre, ou da nossa mãe espiritual, onde deve inseminar o espírito de Deus dentro dela, gesta-lo até a estatura completa de Cristo, que é o ser espiritual, para por fim nascermos no plano do céu pelo espírito, da mesma forma que um dia nascemos neste mundo pela carne. Mas se não passarmos por todo este processo jogaremos mesmo a nossa consciência no vazio eterno, não temos escolhas, mas somente essas duas opções, uma de vida eterna, e a outra no vazio eterno. Quais dessas duas opções a sua consciência escolhe?

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − nove =

Categorias

Postagens Rescentes