Pecado grave

O Pecado alheio sempre é mais grave que o nosso, quer dizer, na verdade o nosso nem é pecado e Deus nem está vendo, mas o pecado alheio não tem perdão, mesmo que a consciência venha a se arrepender de verdade, a prova que uma consciência se arrependeu de verdade é a conduta que ela tem a partir desde então, pois se a conduta for como sempre foi e não haver mudança, é porque não se arrependeu. O arrependimento é um sentimento de pesar muito forte, é como um sentimento de morte, morreu mesmo para aquilo que errou, julga-se que nunca mais errará mais no mesmo ponto, mais é aí que pinta a dúvida, se ela já errou uma vez sabendo, é porque capacidade ela tem e o que levaria ela não errar de novo?O tempo é que mostra todas as coisas e se de fato a consciência tem, não só a compreensão, mas o sentimento profundo da compreensão, ela aniquila em si até a capacidade que um dia teve de fazer as coisas, trata-se de um processo doloroso, lento, como tirar uma tatuagem da pele, queima, arde e a consciência tem que estar extremamente decidida em passar por este processo para se limpar de todos os vestígios que a carne deixou, não ver mais as cicatrizes que o tempo deixou, é para bem poucos. Se para construir alguma coisa já é difícil, imagina ter que reconstruir, mas se a consciência for determinada e decidida, não se importa com o processo, pois até o processo doloroso se faz prazeroso, pois são as mãos do senhor purificando a consciência para ficar do seu agrado, sim, todos nós temos que ficar do agrado de Deus, pois de que vale agradar a Homens e desagradar a Deus, pois quem é que nos dá a vida eterna? Porventura não é o Senhor, de que vale tudo deste mundo se vai passar e ficar para sempre para trás, mas o Senhor é a nossa vida eterna, a existência que nos completa, nosso ser e é isso que cada consciência deve enxergar e sentir, pois já estamos dentro disso, e não é o caso de a consciência querer ou não querer, se a consciência não se desligar da carne e se ligar no espírito, simplesmente cairá num vazio eterno sem volta, e de que adiantou ter passado por este mundo? Está mais que explícito a resposta, foi em vão sua existência, pois não realizou a única coisa que deveria ter realizado, a vontade do Criador e sendo assim jogou a própria consciência no vazio eterno.

Somando nossas luzes

Zeca e Michele

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − quatro =

Categorias

Postagens Rescentes