Pedaços e momentos

Uma vida banal e efêmera

Construída de pedaços e momentos

Dias e noites gravados na recâmara

Imo profundo nos pensamentos

 

Pedaços bons, pedaços ruins

Momentos de prazeres, momentos de tristezas

Uma vida que parece não ter fim

Um dia plebeu, outro realeza

 

Vamos aproveitar os bons momentos

E nos esquecer dos sofrimentos

Raciocinar é o olho do entendimento

Cometer loucuras não está dentro do orçamento

 

Quem erra tem que pagar pelo pecado

Mas os sábios resplandecerão no firmamento

A ignorância será apagada

Mas a altivez será lembrada

 

O que eu quero não me importa

O que me importa eu não quero

Como construir uma vida assim em cima do nada?

Onde a morte será o meu fim?

 

Só bons momentos, uma vida pura

Já me foi oferecida uma vida assim

Sem sofrimentos, sem amarguras

E que jamais terá um fim

 

Mas foi deixada pelo engano

Fingindo que eras soberano

E assim viveu até a morte como um profano

Mas no fundo sabias que era como qualquer fulano

 

Um desejo aqui, outro desejo ali

E assim foi andando e se iludindo

Lutando pelas coisas erradas

E perdeu o que te eras mais precioso

 

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × um =