Processo interno

Um irmão me disse uma vez: “eu não tenho mais nada a fazer neste mundo e não vejo a hora de cair fora dele, já fiz tudo que deveria fazer, já estou até aposentado para deixar uma renda para minha esposa depois que eu morrer, foi o que prometi a ela quando me casei, meus filhos já estão todos maiores”, e me lembrei de Paulo e Jesus, que guardaram a fé e venceram este mundo. Quão bom deve ser se sentir assim? Por isso levantar-me-ei e irei em busca de mim, agarrarei a espada que fere, cura e molda as asas da liberdade. Não é para você, nem por você e nem por ninguém, é por mim e para mim, é neste coração que a espada de Deus está cravada e é ela que sinto atravessando os meus pulmões. Um caminho a ser trilhado, devo sentir, devo honrar, devo viver, devemos sair do estatuto do senhor, para podermos mostrar a Ele que somos seres diletantes ao seu propósito, que não estamos embaixo da lei, mas que somos o Filho de Deus, eu sei o que devo fazer, eu sei, agora resta-me continuar em ação, até chegar no ser! Entendi de verdade que a busca e a realização do propósito da vida é interno, não é nada do lado de fora, inclusive o que está fora é o que pode tirar uma consciência do caminho da vida.

Um processo interno, em conjunto com o senhor da vida, para que ele ilumine o que há de ruim para ser mortificado, pois o engano está lá dentro e não do lado de fora, tenho que me voltar para dentro para que o espírito me molde e me mostre tudo que deve ser arrancado, aniquilado, para que eu me torne alma. Eu sei que este caminho é de renúncias, e muitas vezes pode doer, mas ele traz a paz, e alegra meu coração, mas infelizmente vejo o mundo, e as consciências que nele estão, só se atentam para o ilusório, no que jamais irá acontecer, escutam todos os escroques do diabo, perdendo assim tua razão de viver. Como falar da vida a estes peitos perdidos? Eu sei que doses da verdade penetram à alma, onde a aceitação vem em conta gotas, aos poucos se remedia e o tempo traz a cura, mas neste mundo é quase impossível, vou mesmo continuar em mim, ouvir a voz do meu Senhor, para poder concluir este propósito em minha consciência.

Estou em uma constante conversa com o meu Senhor, e sei que perguntamos a Deus muitas coisas em nossas orações, porém, será que prestamos atenção nas respostas? Deus usa de muitas comparações para mostrar a cada consciência o seu intento, pois até por uma simples bolinha de gude em nossas mãos, ele nos fala por entendimento, por esta razão devemos estar sempre atentos, para entendermos a linguagem dos céus, ouvir a Deus, olhar por seus olhos, caminhar por suas ordenanças e ampliar nossa tenda, só assim entenderemos de verdade o que deve ser feito, e praticaremos com destreza e firmeza em nossos passos.

 

Por todos os irmãos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + dezessete =

Categorias

Postagens Rescentes