Quanto vale a tua alma? IV

A minha alma, vale exatamente o valor que eu dou para ela, a forma como a enxergo já diz muito, não tem muito o que falar, pois as minhas atitudes falam por si só. Não adianta eu querer dizer que eu dava o valor devido para ela, pois eu não dava ou dava, mas de uma forma totalmente errada, e se era errada, não tinha valor algum. Eu quando escrevo algum texto, não quero escrever somente por escrever, mostrar para alguém que estou fazendo algo, porque sei que não é um texto que vai mudar nada, mas as minhas atitudes perante ao meu senhor! Eu pensava que alma e espírito eram a mesma coisa e hoje já sei que não, mesmo que se fosse eu não dava o valor devido para nenhum dos dois, andava pela carne a todo momento achando que estava fazendo algo agradável aos olhos de Deus, pois eu me considero uma pessoa boa, mas não é bondade que o meu Criador quer de mim, bondade, honestidade, todos deveriam ter, não é exclusividade, o certo era que todos fossem assim.

A minha alma não valia nada, pois não a reconhecia, quanto tempo eu perdi por não buscar entender o propósito de Deus, se eu tivesse dado ouvido para ouvir o que aquela pessoa estava me falando há exatamente quatro anos atrás, quanta coisa eu já teria aprendido como tenho aprendido agora, mas de toda forma eu fico feliz, pois sei que tudo que estou enxergando hoje, foi porque realmente quis enxergar o que já estava diante de mim. A alma é a consciência pura, pureza que não pode manchar com nada desse mundo, hoje eu dou o valor devido para ela, porque reconheço a importância que ela tem para o meu Criador.

 

Por Jeane

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + 18 =