Raciocinar dói

Raciocinar é como se fosse um esforço mental da consciência, se a consciência se esforçar muito raciocinando, cansa e chega até doer a cabeça. Nos sentimos como se a cabeça estivesse aberta, exposta, pior é que às vezes queremos parar de raciocinar para descansar a mente um pouco, mas aquilo fica como que latejando. Às vezes, tento fazer outras coisas para distrair a minha mente, mas é só eu voltar ao estado de insipiência que o raciocínio ativa de novo, é uma coisa automática, como que por instinto de uma consciência racional. Basta um assunto ou uma frase inicial que as demais vêm automaticamente. O sentido do raciocínio sempre deve ser lógico, pois se for absurdo a imagem no entendimento será distorcida.

Dentro do propósito de Deus, por exemplo, temos um quadro formado onde há um Criador, uma criação e o produto desta criação, e o que o raciocínio lógico nos diz a este respeito? Que o que uma criação produz deve servir o criador dela e não ela mesma. Se o ser humano produz a consciência como criação, esta consciência deve servir o Criador-Deus e não ela mesma como todas fazem, fazendo isto a criação humana está fora de função, pior ainda, além da consciência não servir ao Criador-Deus, ela ainda quer que o Criador-Deus venha servir ela na carne, deturpando assim totalmente o raciocínio lógico da coisa, e pior do que o raciocínio doer na consciência, é ver o que os seres humanos fazem com a própria consciência que produzem, pois fora do ser humano não servir ao Criador-Deus pelo que produz, ainda vão jogar a consciência que produziram no vazio eterno sem volta. O ser humano produz uma grandeza imensurável e a joga no lixo eterno, e a própria consciência que deveria enxergar isto pelo raciocínio lógico, parte para o absurdo.

Eu choro muito a minha dor, pois vejo de um lado o Criador-Deus com o seu propósito nas mãos e do outro lado vejo as consciências perdidas pela carne, coisa que nem Deus soube explicar, pois fora das consciências saberem que com a carne não vão muito longe, sabem também que vão cair em desgraça eterna depois que a carne morrer, pois não voltarão com o espírito a Deus e nem ficarão com a carne que vai morrer. Mas o que dói mais ainda é querer colocar este entendimento dentro das consciências, elas não querem absolutamente nada com o espírito de Deus, o espírito já está dentro delas pela vida, mas totalmente ignorado. Era para as consciências passarem por uma metamorfose existencial dentro delas, mas cadê que alguma vai atrás disso, e eu fico aqui sozinho sentindo a dor por Deus, vendo este mundo perdido, como o profeta Joel disse: os vinhateiros servos do Senhor estão entristecidos porque a colheita do campo pereceu. Até consciência que eu tanto confiava, levantou contra mim o seu calcanhar, e eu vou vivendo assim neste mundo, até o meu Senhor me levar.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + 7 =