Se deparar com a realidade

Quem quer se deparar com a realidade?

Ter noção realmente de como ela é

Poucos procuram conhecê-la

E vivem presos como réus

 

Seria tão simples notar a verdade

Mas fecharam-se para a vida

Só se ouve opiniões alheias

Que não tem nenhuma serventia

 

Como propagar a verdade ao próximo?

Se ao menos alguém quisesse escutar

Você vê nos olhos, o vazio que carregam na alma

O amargo fel e tristeza que se põe a gritar

 

Uma realidade nua e crua a frente

E se fizeram surdos e mudos

Calaram a voz da verdade em seus peitos

E se fizeram profanos imundos

 

Como ver mudança em algo?

Se todos colocaram tudo a perder

Uns querem tapar o sol com a peneira

Outros não querem nem saber

 

Eu não vejo reversão para isso

Melhor mesmo é me resguardar

Ficar quieto, isolado dentro de mim

Para minha consciência não se contaminar

 

Não há o que se fazer nesse mundo

Só testemunhar a loucura e destruição

Todos já são condicionados ao mal

Não há mais cura e nem reversão

 

Preocupar-se com isso é tolice

É como segurar o rio com as mãos

Não há o que fazer nesse meio

Realmente está chegando ao fim dessa geração

 

Por Ítalo Reis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − seis =

Categorias

Postagens Rescentes