Solilóquio

Uma fala dirigida a si mesma, expressando de forma lógica o que se passa na sua consciência. Trata-se de um monólogo onde uma pessoa conversa consigo mesma, que pode ser causada pela doença do stress ou por raciocinar muito.

Eu, por exemplo, falo muito comigo mesmo através da escrita, eu descobri o propósito da vida, mas neste mundo ninguém se interessa por isso e nós estamos neste mundo só por conta disso, isto me deixa muito frustrado, no que não tenho com quem conversar e optei pela escrita, que é uma forma de me expressar, eu mesmo escrevo e entendo tudo o que falo. Falar de entendimento com uma pessoa é fácil, difícil é pôr o entendimento na consciência dela, eu vejo tudo pelo raciocínio lógico tão claro, mas as consciências são cegas por este olho e mesmo eu conversando com as pessoas, me sinto sozinho, me sinto como falando com as paredes, as pessoas me parecem muito sensíveis, se machucam por qualquer palavrinha banal. Pelo espírito pode falar pesado que não sentem nada, mas pela carne qualquer brincadeira já fecha a cara. O jeito sou eu ficar falando sozinho e quem não gostar que caia fora e que fique bem longe de mim. É horrível ter que conviver com os carnais, trata-se de outra espécie, outro entendimento, não tem acordo. É melhor falar sozinho do que falar com quem não entende, você diz; não é para fazer isto porque você vai perder a sua vida eterna. A pessoa vai lá e faz exatamente o que foi falado para não fazer, ou ela não entendeu o que você falou, ou cuspiu na tua cara. Você fica sem saber o que falar mais, se sente falando ao vento, aquela voz que clama no deserto, faz exatamente o que a lei diz para não fazer. Como a tua consciência se sentiria diante disso?

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − dezesseis =

Categorias

Postagens Rescentes