Submerso pelas águas

Suas mãos me levantaram

E coloquei-me a andar

Tuas palavras me lavaram

E fizeram-me tudo enxergar

 

Sua fortaleza se estendeu

E sua força me levantou

Senti a coragem no meu peito

Um grande e forte destemor

 

Sabedoria que me ensina

No silêncio do ecoar

Me direciona no seu caminho

Me mostrando como andar

 

O sentimento que se eleva

Acompanhando o meu peito

Submerso pelas águas

Levou consigo todos os tormentos

 

Dancei no compasso do seu ritmo

E deixei o conhecimento falar

Ele abriu as portas fechadas

E discerni o que estava em meu olhar

 

Foram tempos de aprender ouvir

Tempos de guerras internas

Calei os inimigos em mim

Estou voando rumo a minha terra

 

Leve-me vento por entre os montes

Guie-me ao ventos fortes do sul

Traga consigo a leveza

E junto o que não é comum

 

Traga-me liberdade nas mãos

Junto a alacridade infinda

Como a criança sonha

Com sua mocidade um dia

 

Por Ítalo Reis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × três =