Tempestade de areia

Este mundo é um deserto e temos que atravessar esta tempestade de areia em meio a grandes dunas de areia. Deus nosso Pai vem na retaguarda com o seu escudo de bronze nos protegendo do invisível. Esta fase da vida é considerada um deserto para quem realiza o propósito de Deus, pois neste mundo não existe nada que interessa ao espírito, salvo a consciência que veio buscar, mas como a consciência foi produzida pela carne, ela está ligada à carne como um fruto natural, e este período da metamorfose existencial, a consciência se sente de fato num deserto e devemos ter compreensão para passarmos neste caminho, pois tudo deste mundo vem contra a consciência que vive pelo espírito, e desde já sabemos que é uma travessia de purificação, de renúncia, de troca de ser, uma mudança radical. Não é uma mudança de casa, ou de marido, mas uma mudança de ser, seres completamente antagônicos, devemos plantar em nosso coração o propósito do Criador, fazer Sua vontade com amor, fazer um corte na raiz da carne e cuidar da árvore da vida, para assim colhermos os frutos celestiais. É realmente uma travessia pelo deserto escaldante e Deus sempre nos mantém de pé para prosseguirmos firmes concluindo com seu propósito em nós, é uma troca literal de existência. Por isso há a necessidade de morrer para a carne, para que o novo brote, o espírito.

De vez em quando ouço o desespero ruidoso do Egito, mas não posso olhar para trás, deixar o mundo se afogar com suas angústias, enquanto busco a plena liberdade em mim e permeie o meu habitat eterno onde o clima é suave, a brisa é leve. Aguçar os sentidos para ouvir a voz, sentir o cheiro, ver o caminho, degustar cada palavra que advém do Senhor e ser direcionada por ele, porque só ele é que pode nos dar a verdadeira liberdade, e a paz tão desejada, andar livremente, como diz a própria palavra, eu sou o caminho, a verdade e a vida, e ninguém verá o céu a não ser por ele, já está dentro de nós, é só deixarmos fluir naturalmente. Que sejamos a calmaria, o som do silêncio, a serenidade de uma chuva serôdia que rega em paz os doentes, os quais serão curados na medida que eles mesmos buscarem a cura, que é a palavra, a água que não deixa nossa alma sedenta em meio a este deserto que estamos passando, ela nos limpa e nos cura, pois sai do meio de uma Rocha fendida, é fonte de água pura e cristalina, e bebemos dela por todo o caminho da vida, e quanto mais bebermos dessa água vamos nos lavando, nos purificando até nos tornarmos alma para que o senhor adentre e faça de nós a sua morada eterna.

 

Por todos os irmãos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 9 =

Categorias

Postagens Rescentes