Um sonho estranho

Um dia espero acordar e tudo isso ser um sonho estranho, um pequeno sonho diante uma vida. Um dia espero abrir os olhos, bocejar e perceber, que tudo passou, e não há mais nada para perder, realmente espero, que meu nome se eternize, que minhas lágrimas só escorram de felicidade e que o mal que causa o mundo esteja no esquecimento de meu coração. Tudo está ruindo e se perdendo nas confusões, envelhecendo com o passar dos dias, tudo está caindo e rugindo como os trovões, se perdendo e se esquecendo da sabedoria. Este sonho conta a história das transgressões, um pesadelo que se perdera nas ilusões, este sonho conta muitas histórias, e todas elas fazem parte da triste realidade dos corações. A vida já não sabe o que falar, veio buscar sua amada, mas ela não quis se entregar, como podem escolher um fim que não sabem onde vai dar? O tempo ruiu com os ponteiros que não puderam contar. Deus se enfureceu com essas fantasias que todos se apropriaram, ouviu seus sonhos e se enojou, como pode ser assim? Reses para o matadouro, um caminho sem fim, caem do precipício e não encontram chão, engordou o coração, cegou seus olhos, sonham e sonham e não encontram a paz, porque onde a procuram não está, a sapiência e a calmaria não se encontram na fornalha, a brisa e a maré que as abrigam, todos plantam a tristeza e esperam colher alegria, mas como encontrar a verdade na mentira? E volto ao início, a dor inicial, e digo que um dia realmente espero acordar, e notar que tudo já se passou, não passa de um sonho estranho que se findou, mas até que esse dia não chegue, eu sonho com ele.

 

Por Luiza Campos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 − um =

Categorias

Postagens Rescentes