Uma guerra interna

O exército dos céus contra o exército dos infernos, o campo da batalha, cada consciência, a causa da luta, tomar posse dela. A lei é clara, não deixar nenhuma criancinha viva, para que porventura ela não cresça e se volte contra ti. A consciência foi produzida pela carne, e construiu muros altos, portões de ferro e ferrolhos de bronze, uma fortaleza, o reinado da carne é muito forte dentro de cada consciência e os filhos de Deus estão do lado de fora para conquistar esta terra, eles vieram do céu, e nós, as consciências, não devemos ter medo pelo espírito, temos que ser como Davi que não temeu o gigante, mas o enfrentou e o derrubou e com a espada do próprio gigante decepou a sua cabeça, triste das consciências medrosas que não confiam em Deus. Deus prometeu e vai cumprir, colocarei todos os seus inimigos debaixo dos teus pés. Por isso Deus disse: serei inimigo dos vossos inimigos e adversário dos vossos adversários. Não tenha medo dos vossos inimigos, pois Deus está do nosso lado, os filhos de Deus. A carne vai morrer de qualquer jeito, ela já é derrotada, nunca que uma consciência pelo espírito pode ter medo de enfrentar nada. Hoje ela está aqui, amanhã se tornará em feno, esterco da terra.

Temos que nos unir pelo espírito e não para defender a carne. Paulo disse: porque o espírito luta contra a carne e a carne luta contra o espírito, e estes se opõem um ao outro para que não façais o que é do vosso querer, mas se sois guiados pelo espírito de Deus não cumprireis com os desejos da carne. Tudo é uma questão de a consciência se posicionar, e o lado que ela se posicionar ganha a batalha, só sairá derrotada se posicionar ao lado da carne e vitoriosa se posicionar ao lado do espírito. João, o batista, disse: o machado já está posto nas raízes, e toda árvore que não der bons frutos será arrancada e jogada no fogo. Os frutos são as ações dignas de arrependimento, e o fundamental dentro do propósito de Deus, são as decisões a favor do espírito, como as decisões de Rebeca, Abraão, Rute, Daniel, Ester, entre outros. O que tiver que fazer para derrubar a carne da frente, faça e não fique adiando a decisão, não dê uma de Baraque que a glória não será sua, mas as decisões devem partir de você, os fracassados é que dependem das decisões dos outros, como diz uma canção: “vem vamos embora, que o esperar não é saber, quem sabe faz a hora e não espera acontecer”. Tudo aquilo que a tua consciência vê que é por Deus, faça, porque Deus está com você, e tudo que a tua consciência vê que não é por Deus, se afaste. As decisões devem ser imediatas, e nunca devemos ver quem está do outro lado, se é filho, se é neto, ou cônjuge, ou pais, ou amigos, se for contra Deus deve ser eliminado. A nossa batalha é contra os príncipes das trevas, contra a ignorância, contra os desejos carnais que combatem contra a alma. De que vale defender um filho e cair no vazio eterno, neste caso quem te dará a sua salvação? A tua consciência deve defender quem dará a vida eterna a ela e não quem a jogará nos infernos. De que lado a tua consciência está de verdade nesta batalha?

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 − três =