Uma volta pelo tempo

Eu já vi Abraão levando o filho a morte, estive com Moisés diante do mar vermelho, dormi também com Daniel na cova dos leões, o rei Nabucodonozor também me viu com os amigos de Daniel na fornalha ardente. Eu me pus junto ao poço quando o servo de Abraão convidou Rebeca para se casar comigo e ela aceitou, pulei de alegria e a acompanhei até que ela me visse na figura de Isaque, sempre estive junto de cada coração, e vejo todas as loucuras que se cometem contra o propósito de meu Pai. Eu vejo o ser humano produzir a consciência, vejo desde o início o caminho errado que todas elas tomam, vejo também aquelas que desde de criança já se interessam pelo propósito de meu Pai, sou eu quem dou vida a elas, e mostro o caminho que elas devem trilhar.

Desde o início eu já estava com Deus e conheço as suas obras mais antigas, sou eu quem falava das emboscadas do rei da Síria a Eliseu, e Eliseu falava com o rei de Israel para que não caísse nas emboscadas do rei da Síria. Eu estive com Davi contra o gigante Golias e foi eu quem acertei a pedra na fronte do gigante, eu estive com Jesus o tempo todo, até quando ele passou pelo caminho do gólgota, levei a consciência dele para o céu e viverei por ela eternamente, vivo também por cada um que vem ao mundo, mas o que me entristece muito é que ninguém faz caso de mim, mesmo sendo eu quem dou a vida a todos, vim ao mundo mandado por meu Pai, e a recomendação Dele é esta: que eu não perca nenhum daqueles que se me deu. Mas ultimamente já até perdi as minhas esperanças, porque as consciências são extremamente carnais, não tem uma que me dá atenção, já vi que a morte nunca chamou atenção de ninguém, nem o complexo da vida, as pragas parecem que afastam mais ainda as consciências de mim.

Levantaram Maomé, Jesus, Gautama, Shiva e até a vó Rosa no meu lugar. Os obreiros fraudulentos escroques do diabo fazem festa em cima destas consciências insanas, e eu fiquei jogado às traças, um de quem todos me viraram o rosto. Até que eu ainda falo por alguns, mas bem poucos, se duvidar não dá os dedos de uma mão, e aqueles então que disseram ter chegado ao pleno conhecimento da verdade do propósito do meu Pai e sujaram o meu nome, o que eu fiz a eles para que eles fizessem isto comigo? Falaram tanto que me honrariam, bem, deixa pra lá! Foi dito que quem me honrasse, o meu Pai o honraria, mas quem me desonrasse, meu Pai o desprezaria. Eu fico imaginando o que acontece com as consciências que não dão valor para o propósito do meu Pai, o que será que se passa pela mente delas, uma vez que nem o meu Pai soube responder o que aconteceu. Já estava tudo preparado, um propósito transcendental, uma vida eterna comigo lá no reino do meu Pai, e as consciências fizeram o que fizeram, vai entender!

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − 3 =