Unidades

Olha só a que coisa incrível chegamos, na unidade tanto da matéria quanto do espírito, duas existências que temos no infinito, uma no universo que é o plano material e a outra no céu, que é o plano espiritual. O átomo é a unidade da matéria e Cristo é a unidade do espírito, se fragmentarmos a matéria chegaremos ao átomo, que seria a menor partícula da matéria, e se fragmentarmos o Espírito, chegaremos a Cristo, que é a menor partícula do Espírito. O átomo é composto por prótons, nêutrons e elétrons, que são cargas positivas, negativas e neutras. Cristo é composto pela vida, não precisamos de reações para termos a vida, pois o espírito é uma existência pura, como que se estivéssemos um só tipo de elemento, seria a existência por excelência, pura e verdadeira, que não precisa de reações para ser, que não é o caso da matéria, onde temos mais de cem elementos químicos na natureza. Por isso a matéria trata-se de uma existência transformista e o espírito é eterno, sem variação de mudança, para exemplificar seria como se tivéssemos apenas o elemento ouro na natureza e não tivéssemos outro elemento para reagir.

Cristo que é a unidade do espírito, seria a consciência do espírito, a consciência da vida, a consciência do verbo, da ação, dentro de cada um de nós que temos a vida, que é tão perceptível quanto a energia da matéria, a matéria precisa reagir para termos a energia, mas a vida em si mesma já é uma ação, basta estarmos vivos para vermos e sentirmos esta ação, pois um corpo sem vida é morto e nós chegamos a essas duas unidades e somos nós, como seres humanos, que produzimos o neutro da vida, isto é, a consciência. Na matéria temos vários tipos de elementos que se destacam pelos seus números de prótons, elétrons e nêutrons, mas no espírito é como se tivéssemos apenas o próton e o nêutron, uma só unidade de cada um, um próton e um nêutron, não teríamos o elétron, só o próton e o nêutron, que seria a existência verdadeira, que é a consciência e o espírito. Cristo que é a unidade da existência do espírito tem vida própria, mas se a consciência não se ligar no espírito, ela cairá no nada, como se tivesse na matéria apenas o nêutron, sem os prótons e sem os elétrons, pois não formou a unidade do espírito.

Por isso as nossas consciências devem passar por esta metamorfose, de deixar a existência material e se ligar na existência do espírito, essa seria a vida eterna das nossas consciências, mas esta reação é muito rara, como os gases nobres, que só reagem forçados, mas não vejo nenhuma força nas consciências para terem esta reação.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 1 =

Categorias

Postagens Rescentes