Você tem problemas com as palavras?

O que seria mais drástico, o jogo de palavras ou viver em desgraças? As consciências evitam as palavras, mas vivem dentro delas, passam o tempo todo falando em desgraças, e achando o esporte, onde a vitória de um é a desgraça do outro, uma coisa bonita, ou seja, eles vivem em desgraça o tempo todo dizendo que tem problemas com esta palavra, e ainda dizem que o falar atrai coisas ruins. Ora, pois, se só o falar julga que traz coisas ruins, e o viver nelas o tempo todo acha uma coisa boa então?

As palavras não me pegam, pois eu distingo bem uma coisa da outra e não vivo nelas. Vivem só atrás de notícias ruins, parecem até que gostam de ver e ouvir que os outros estão em desgraças, talvez para se conformarem na própria desgraça em que vivem. Na verdade, estão diante da maior tragédia humana, a morte do próprio corpo carnal e não reagem diante disso, não se importando com a própria desgraça eterna. Como será para uma consciência passar uma desgraça eterna não querendo ouvir esta palavra? Já vive ela hoje, como a síndrome da morte, até bate três vezes na madeira como que anulando esta palavra, mas ela sempre está sobre a vida que você leva. A morte da tua carne que deveria ser o seu maior dia de glória, passa a ser a tua desgraça eterna. Era para a tua consciência entrar no reino de Deus pelo espírito, no entanto ela será jogada no vazio eterno sem volta, e ela mesma não faz nada para reverter esta situação caótica, vive espantada com as desgraças alheias, e não se espanta com a própria desgraça. Eu fico perplexo a vosso respeito, vamos conversar de coisas certas, vamos falar da razão de existirmos, do porquê o nosso Criador nos criou, do que realmente importa, em sermos úteis como seres e realizar a vontade de quem quis que fôssemos. Isto é saudável, viver da graça do nosso Senhor e não das desgraças alheias para nos sentirmos confortados, como que querendo ser melhor que os outros como num campo de provas.

A competição não te deixa melhor que ninguém, mas em desgraça quem você deixou para trás. O que me deixa feliz é chegar por último e saber que todos são melhores que eu, porque só assim posso melhorar moralmente, mas enquanto julgar que sou melhor que alguém, a soberba estará instalada na minha alma, e a soberba não é bom para alma, pois ela fere o princípio da sabedoria. Senta aí, vamos falar da sabedoria de quem nos criou e do que realmente estamos fazendo neste mundo, isso é extremamente saudável para as nossas consciências, vamos raciocinar para exercitar a consciência as coisas boas e não o corpo físico para competir com ninguém, mas vamos nos alinharmos no entendimento, pois isso sim faz bem tanto para o corpo quanto para a alma.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × dois =