Voltar à rotina

Todo dia que acordo e volto a rotina desta vida, me dá até um calafrio na alma, saber que ainda estou vivo neste mundo de horror, me volta todo aquele sentimento de tristeza. Os mesmos avarentos, os mesmos comensais, os mesmos escroques do diabo, a mesma rotina. Blá…blá…blás… pra lá, blá…blá…blás… pra cá e nada sai do lugar. Eu tenho que ir ao supermercado fazer as compras do mês, tenho que ir ao banco assinar uns documentos, tenho, tenho e tenho, e o propósito da vida? O propósito da vida eu não tenho que nada. São as consciências brincado com coisa séria, não pensam, não raciocinam, não formam ideias de nada, mas só de ouvirem falar. Eu tenho que ir nas reuniões senão me perco da vida e assim até as reuniões se tornaram numa rotina, mas acabou a reunião volta a rotina da carne novamente, eu tenho que trabalhar, tenho que limpar a casa e mais um monte de eu tenho… São as réplicas do dia a dia, fim de semana e o batente do trabalho, fim de semana e o batente do trabalho, de vez em quando um feriado, mas de resto, uma merda de vida.

Uns querem mostrar poder, mas a morte iguala a todos, os mais simples, sofrem por serem humildes e os mais altivos, sofrem por saberem que são uns desgraçados, miseráveis, pobres, cegos e nus. Deus saiu do comando, por isso este mundo se tornou nesta rotina diabólica, e a única alternativa de sair deste marasmo rotineiro seria a consciência se desligar da carne que a produziu e se ligar no espírito de Deus pela vida eterna dela, que inclusive viemos e estamos neste mundo só por conta disso. Estamos na segunda fase de um propósito sábio e verdadeiro, a única maneira de sairmos desta rotina angustiante, seria mudarmos de fase. O só passarmos por uma metamorfose existencial já seria para lá de transcendental, desligarmos desta carne que morre e nos ligarmos no espírito da vida eterna, outro plano, o outro lado da vida, outra existência, mas isto deve ser de verdade e não só no faz de contas como vejo. Trata-se literalmente de outro ser, outra pessoa, outro tudo.

Eu vejo que até pessoa que tinha saído da rotina desta vida carnal, voltou à rotina dela novamente, não conseguiu pegar no tranco, ficou só no nhen, nhen, nhen e não deu a partida para a vida, os desejos da carne falaram mais alto dentro dela e ela voltou para a rotina desta vida maldita e se não pegou da primeira vez, agora não pega nunca mais. Caminho da vida, chance única, abortou o filho da vida, já era.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 + vinte =

Categorias

Postagens Rescentes