Ensinado por meu Pai

Desde criança me interessei pela razão da vida e fui atrás, busquei nas religiões, na filosofia, nos pensadores, na ciência humana e nada, ninguém conhece o propósito da vida, e meu Pai me deixou procurar para ver que o segredo da vida não está neste mundo. Foi quando me deparei com esta realidade, então resolvi procurar meu Pai, e Ele me disse: senta aí e vamos conversar. Começou me dizendo que eu estava dentro de um propósito, e que Ele me enviou a Terra para eu adquirir a minha consciência, no começo, a consciência que produzi como criação, ficou sem entender direito a grandeza da coisa, mas com o tempo ela foi se deparando com a morte da carne, com a complexidade que a envolvia e as coisas foram se encaixando, ganhando sentido.

Até que cheguei a convicção da coisa, chorei muito com a grandeza do propósito e saber que estou dentro dele. Depois de todo ensinamento que o meu Pai me deu e disposto em cumpri-lo na minha consciência, pensei nos meus irmãos, como suas consciências que produziram como criações não sabem absolutamente nada sobre o propósito da vida, e isto é uma coisa que não parte do espírito e nem da carne, mas da própria consciência, pois existência não pensa, este é o papel da consciência, se a consciência não pensar, não raciocinar, não formar as ideias e não decidir, nada acontece, e eu vejo todos os dias o pó voltando ao pó, o espírito voltando a Deus e as consciências caindo no vazio eterno, e nada chama atenção das consciências com relação ao propósito da vida.

Eu já falei para o meu Pai que precisaria de um sinal para chamar atenção das consciências para o que falo, mas até agora Ele não me deu nenhuma resposta, e eu estou aqui no aguardo da decisão Dele, o que Ele me ordenar, com certeza vou fazer. Por enquanto estou aqui com meus raros irmãos que também chegaram a este conhecimento, nós conversamos todos os dias do propósito do meu Pai, eu procuro manter meus irmãos ativos no espírito, já escrevi milhares de textos, já fizemos berlindas para vermos o que tira a consciência do irmão do propósito da vida, já fiz peças de teatro, dei condições para as músicas, já escrevi até peças infantis, faço o que posso para manter a chama do espírito acesa nas consciências dos meus irmãos. Confesso que ultimamente estou meio decepcionado com as dificuldades que os irmãos têm de se desvincular da carne.

Eu vejo que entender o propósito da vida eles já entenderam, mas ainda os desejos carnais falam mais alto em suas consciências, são os filhos, o cônjuge, o conforto carnal, tudo isto os prendem ainda na carne, parece que eles não sentiram bem a coisa ainda, e estão meio lá e meio cá. É muito difícil fazer uma consciência sentir que está dentro de um propósito, até que dizem saber, mas a questão é sentir, sentir que um dia vão entrar no reino de Deus pelo espírito, sentir a troca das existências dentro de suas consciências. Na verdade, as consciências não sentem nem a morte da própria carne, elas agem como se nunca fossem morrer, programam seus futuros na carne, colocam seus objetivos na carne, e as religiões dizem que ressuscitarão na carne. Não fazem nada pensando no espírito, como o profeta Isaías disse, ele ficou totalmente ignorado. Não imaginam que um dia possam estar no plano do céu pelo espírito, mas até lá pensam que vão entrar pela carne, e que Jesus ressuscitou na carne, ou seja, não tem como falar do espírito neste mundo. Por isso eu não vejo a hora do meu Pai me chamar, pois por aqui não tenho mais nada a fazer.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + quatro =

Categorias

Postagens Rescentes