Veleiro da vida

Veio ao mundo, criado ao redor de caos, furacões de emoções e sensações frívolas, percebeu que neste mundo as consciências são agitadas e agoniadas, não sabia onde era seu lugar, em nada ele se achava, enxergou que a busca de todos leva ao mesmo caminho, ao nada, procurou saber aonde encontraria a paz, do lado de fora percebeu que não seria. Os naufrágios assustam, mas prevalece quem determina, as águas turbulentas engolem os fracos, mergulhou em seu oceano para encontrar seus segredos, se sentiu assombrado em seu abissal, porém não se acovardou, prosseguiu em conhecer-se. É de amedrontar quando se vê em alto mar, mas o caminho da vida é assim e só os verdadeiros desbravadores de profundos oceanos conseguem descer para a si resgatar, e não precisa temer, pois quem nos conduz sabe o caminho e é a luz que ilumina todo esse profundo, é só não soltar sua mão mesmo em meio as borrascas da vida. E depende de cada um saltar contra as ondas gigantes do mar e sair vitorioso das águas agitadas que encontrará pelo caminho.

O caminho da vida é assim, só os fortes e destemidos passam por ele, mas os fracos de coração ficam pelo meio do caminho. Tudo seria uma questão de entender, e o papel da consciência é este, raciocinar, as coisas seriam muito mais fáceis dentro de um raciocínio lógico, mas as questões das borrascas, das batalhas intermináveis, dos medos e de todas as dificuldades estão em não entender, pois o raciocínio clareia o caminhar e mesmo em meio às tempestades a água bate forte e de certa forma pensamos até que iremos afogar, porém quando pomos o raciocínio em prática a tudo compreendemos e passamos a sentir o verdadeiro prazer de se banhar desta água que purifica e nos edifica. É uma questão de exercitar o raciocínio e elevar os pensamentos no Espírito, pois este é o timoneiro da embarcação que nunca volta no tempo. É no meio da fúria do mar, entre ondas gigantes que mostramos aonde está a nossa força, e esta só vem quando estamos ancorando o nosso barco junto com nosso comandante, o Senhor, a turbulência vem, tenta nos derrubar, mas como iremos cair se quem nos comanda é o dono do mar e de todo esse universo? Ele é quem deve estar sempre a nossa frente, nos guiando, nos moldando e nos fortificando nessa jornada. Jornada esta, que requer equilíbrio e determinação de toda a tripulação que está determinada a seguir neste veleiro da vida, que é comandado pelo Único e Soberano comandante, que está sempre atento e com as mãos firmes no timão. Então, a quem temeremos? Não há o que temer! Com Ele as tempestades se dissipam, cessa-se a fúria do mar e acalma-se o vento! Com Ele navegamos e desfrutamos da calmaria das águas tranquilas, pois no horizonte Sua luz desponta e resplandece, conduzindo o veleiro até o ancoradouro eterno!

 

Por todos os irmãos

Deixe um comentário