Iceberg

Um termo muito usado em várias áreas, e uma delas é na psicologia, onde a ponta do iceberg que vemos acima das águas do mar é a parte consciente, e a parte abaixo das águas seria o inconsciente. Falando do propósito do Criador Deus que é o assunto que sempre abordo, sempre enfatizamos que o que o Criador quer da criação humana é a consciência que produzimos, pois ela é o fruto natural dessa árvore, que é o ser humano, e é esta consciência que deve ser trabalhada e colhida para o bem de Deus. Muito já foi falado que Deus é espírito e importa que seus adoradores o adorem em espírito e em verdade, e isso significa que a consciência só agrada de fato a Deus se ela for espiritual, pois Deus não tem matéria nele, e por isso não tem nenhum sentimento carnal, sendo assim, a nossa consciência deve passar por uma metamorfose existencial dentro dela. Uma transformação de ser, uma mudança radical, deixar de ser carnal e se tornar em ser espiritual, e para isso ocorrer requer um grande trabalho intenso e interno em cada consciência. Deus nos olha por dentro, é lá dentro de cada um que habita o espírito santo de Deus que nos vivifica, e é este espírito que é mão de Deus em nós para trabalhar essa consciência, moldá-la e colhê-la para o proveito de Deus.

A ponta do iceberg é a parte externa, mas a consciência deve mergulhar no seu próprio mar sem medo do que vai encontrar, pois é necessário ver a si mesma, olhar-se no próprio espelho, ver suas raízes, seus comportamentos e de onde eles são originados. É óbvio que pelo fato da consciência ter sido produzida pela carne, seus sentimentos são carnais, mas o trabalho a ser feito é produzir consciência do espírito, que é conscientizá-lo e crescer por ele. A base da consciência é a origem dos sentimentos, que devem ser agora pelo espírito e não mais pela carne, é um trabalho que requer muita dedicação e querer da consciência, muita concentração, pois olhar-se no próprio espelho é se deparar com quem somos de verdade, e para concluirmos a vontade de Deus, esse é o caminho. Vamos mergulhar nessa nossa imensidão sem medo, de mãos dadas com o senhor da vida, pois é ele mesmo que nos ilumina e nos guia neste caminho, e o que era tenebroso e sombrio passará a ser claro, tudo iluminado. Só nós mesmos podemos enxergar as doenças da nossa consciência e remediá-la, curá-la e libertá-la. De outra sorte, somos nós mesmos que vamos pagar pelos nossos erros. Há uma eternidade a nossa frente, a questão é saber como vamos passá-la. Consciência doente não herda o reino de Deus, e o vírus que devemos exterminar de dentro dela é a carne, se não tomarmos o antídoto da verdade para matar este vírus, vamos jogar a consciência que produzimos no lixo eterno.

 

Somando as luzes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × cinco =