Lavoura perdida

Imagine, Deus preparou a terra, limpando-a das pedras, adubou, fez chover na estação correta, cercou-a, construiu um lagar, também uma torre, plantou-a de excelentes vides e só ficou esperando as uvas boas para se deliciar do seu vinho e alegrar o seu coração. Mas acontece que só deu uvas bravas, no que Deus se questionou: que mais se podia fazer a minha vinha o qual Eu não tenha feito? E como Eu esperando uvas boas veio a produzir uvas bravas? E Deus se indignou e disse: já sei o que ei de fazer, derrubarei a sua cerca, não darei mais as chuvas do céu e deixarei a minha vinha ser pastada pelas bestas feras do campo.

É exatamente isso que vemos estes escroques avarentos do diabo fazerem hoje com a lavoura de Deus, como Davi disse: comem o meu povo como se comessem pão. O profeta Joel disse: o que ficou da locusta, o comeu o pulgão, e o que ficou do pulgão, o comeu o gafanhoto, e o que ficou do gafanhoto, o comeu a lagarta, e assim estes escroques avarentos pastores e padres do diabo se deliciam das uvas bravas da lavoura de Deus. Não sobrou uma uva boa para o proveito de Deus, mas vemos como está a lavoura de Deus. Joel até disse: os vinhateiros servos do Senhor estão entristecidos porque a colheita do campo pereceu. Não tem mais o que colher, todos os frutos carunchados pelo engano, pelos sentimentos carnais. As consciências não conseguem tirar as larvas dos sentimentos da carne, estão todas como aqueles bichos de goiaba, que só as bestas feras do campo comem, como estes escroques nojentos do diabo, não há mais nada a fazer por Deus aqui na Terra, só ver a destruição do ser humano e cair fora.

Eu vim exatamente nestes finais dos tempos, onde se diz que o diabo desceu a Terra e tem grande ira porque pouco tempo lhe resta. Quando cheguei por aqui não tinha mais nada a fazer e agora ainda com esta praga do celular nas mãos das consciências acabou de vez com a lavoura de Deus. Desde criança elas já são influenciadas por esta praga do diabo, os próprios pais também são viciados por esta droga eletrônica e passam para os filhos. Vivemos hoje como que na cracolândia da droga eletrônica, as consciências já estão todas deterioradas por esta praga. Eu não vejo mais o que fazer por Deus neste mundo, eu falo, falo, falo, mas as minhas palavras são como jogadas ao vento, não surtem nenhum efeito dentro das consciências que já estão determinadas ao erro, seria o mesmo como não falasse, como Isaías disse: eu sou a voz de um que clama no deserto. Infelizmente o propósito de Deus foi derrubado neste mundo, eu me sinto sozinho, uma grandeza dessa nas mãos, mas de nenhum valor, as consciências gostam mesmo é das mentiras que lhes convém. Vim mesmo nestes finais dos tempos só para testemunhar o fim do propósito de Deus na Terra.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − 10 =

Categorias

Postagens Rescentes