A diferença está no sentimento

Dentro do propósito de Deus deve ocorrer um nascer de novo, um novo ser. Trata-se apenas de uma transformação, isto é, dentro de nós temos duas existências, a saber: a carne, como criação, e o Espírito que é a mão de Deus em nós pela vida. Como criação produzimos a consciência das coisas e é na consciência que está a questão, pois é nela que é realizado o propósito de Deus. A princípio, a consciência é ligada à carne como um fruto natural, pois foi a carne, como criação, que a produziu, só que a carne não tem vida própria e uma hora vai morrer com a fuga do espírito, e antes que isso aconteça, a consciência, deve se desligar da carne que a produziu e se ligar no Espírito pela vida eterna dela. Trata-se de um propósito e já estamos dentro dele e não é o caso de a consciência querer ou não querer, se a consciência não realizar o propósito de Deus nela, simplesmente cairá no vazio eterno quando o espírito voltar a Deus e todas as consciências já sabem isto de antemão, pois qual consciência não sabe que a carne vai morrer?

Trata-se de uma troca literal de ser, a consciência era carnal e passa a ser espiritual, não quer mais atrair o sexo oposto, mas sim atrair as consciências para o espírito de Deus, pois no espírito nos fazemos um só corpo com Deus, e vamos fazer parte do mesmo corpo. Os sentimentos da consciência agora são pelo Espírito e não mais pela carne, mas se os sentimentos continuam sendo pela carne, mostra que o propósito de Deus não foi realizado na consciência. É natural os sentimentos da consciência serem de onde ela é ligada, se na carne, carnal, se no espírito, espiritual. O ser espiritual não tem sentimentos pela carne enrustidos, por isso Jesus disse: pelos seus frutos eu vos conhecereis, pois não tem como colher uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos. É lógico que uma consciência carnal tem seus sentimentos pela carne, assim como uma consciência espiritual tem seus sentimentos pelo espírito. Um ser carnal jamais conhece um ser espiritual, mas o ser espiritual conhece bem todas as coisas, pois ele já passou pela fase carnal. Enquanto a consciência tiver algum tipo de sentimento carnal, mostra que ela ainda não é espiritual, pois é evidente que um ser espiritual não tem o menor sentimento pela carne, pois ele trocou de fase. Por mais que uma consciência quer imitar um ser espiritual, ela não passa os sentimentos dele, mas sempre vai se portar como ser carnal que é. A consciência não tem que lutar para deixar um sentimento, mas deve lutar para nascer de novo, pois, enquanto for carnal vai ter os sentimentos da carne, mas quando morrer para a carne e ressuscitar para o espírito, naturalmente terá os sentimentos do espírito, mas enquanto ela for carnal, vai camuflar no espírito e cair no vazio eterno. Não é imitando o espírito que a consciência se salvará, mas é preciso nascer nele, como Jesus disse: aquele que não nascer no espírito, não entra no reino de Deus. Falar do Espírito e do propósito de Deus não salva a consciência, mas sim nascer no Espírito é o que salva, pare de lutar contra um sentimento carnal e comece a lutar para nascer no Espírito, pois este é o caminho da vida eterna.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × três =