Estrela solitária

Ela brilhava, mas não encantava, era uma luz difusa, que todos a viam, mas estava longe dos seus pensamentos. Estrela guia de nada que não enxergava nem seu próprio caminho, bilhões de anos luz da estrada real, sabe que está lá, mas ela não subsistirá, não está no lugar em que deveria estar. Passou o tempo, mas ela parou no vento, um vento oriental da cultura milenar, não atravessou a fronteira, mas ficou barrada na barreira, fez questão do troco e foi descoberta entre os surtos. Ficou retida do lado de cá e não ganhou sua liberdade, não fez por onde para estar do lado de lá, andou tanto para alcançar a sua glória eterna, passou por tantos obstáculos, tantos perrengues, mas foi barrada na fronteira, o jeito agora é voltar para o Egito, sofrer a fúria do faraó, trabalhar de sol a sol, e ver seus dias acabando na fumaça, e o pior ainda está por vir, uma masmorra eterna desconhecida e solitária. Foi por isso que Jó desejou a sua morte, não queria ter nascido e praguejou contra os céus e contra a Terra, não acreditou na transposição do mar vermelho e se viu num beco sem saída, acreditar em Deus ou se entregar a faraó? Se entregou a faraó, não prosseguiu com os remidos, não vai conhecer o outro lado, ficou do lado de cá, um obstáculo tão simples de ultrapassar e ela não suportou os ardores do deserto. Me deu até um calafrio quando o guarda me chamou, eu já estava por sobre a ponte quando ele me disse: senhor, o seu troco! Eu só fiz assim com a mão; deixa pra lá, e segui em frente, atravessei a fronteira e senti um alívio muito grande. Acordei dizendo: consegui atravessar a fronteira, até passei uns dias aliviado.

Hoje eu já me sinto livre desse mundo e qualquer coisa aqui para mim é troco, consegui atravessar a barreira da morte, o último inimigo, não vejo a hora de entrar na minha glória eterna, sabe quando você sente real que vai acontecer alguma coisa, é assim que me sinto hoje, não vejo a hora de deixar literalmente esta minha carne e realmente ir com o meu Senhor. A fronteira já ultrapassei e hoje me sinto como o meu irmão Paulo que disse: acabei a carreira, guardei a fé e sei que a coroa da justiça me está guardada lá no céu. Hoje falo como o meu irmão Jesus: sei de onde vim, sei para onde vou e enquanto estou no mundo sou a luz do mundo, isto é, sei exatamente o que vim fazer aqui, isto mesmo, eu descobri o propósito do Criador-Deus e ando por ele. O propósito é de Deus, na carne sou uma criação descartável, o que Deus quer de mim como criação é a consciência que eu produzi como tal. Eu descobri isto e já me entreguei a Ele, hoje é o Senhor quem me guia, quais as minhas chances? Eu estou literalmente nas mãos de Deus, saí das mãos do faraó e Deus já abriu o mar vermelho diante de mim e eu passei, já estou pelo meio do deserto e já andei um grande trecho do caminho, já estou prestes a terra prometida, estou passando os meus últimos dias neste mundo, nunca olhei para trás que na verdade nunca me interessou, perdi todas as vontades que tinha neste mundo e hoje carrego esta vida da carne na barriga.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × cinco =