Prefácio

Apresento-lhes agora o Cristo de Deus, o vindo de Deus a nós, o Deus conosco, o messias, o anjo da aliança eterna, o senhor justiça nossa. Ele veio de Deus e já está em nós nos dando a vida, ele é este espírito que desceu do céu e nos dá a vida, ele já está dentro de cada um de nós, mas como Isaías disse, ele seria ignorado, rejeitado, um de quem todos lhe virariam o rosto, ele que seria a nossa paz com Deus, mas atribuíram este espírito só a Jesus. Os judeus ainda o esperam, os budistas já até se contentaram com o vazio eterno, os espíritas o chamam de alma, confundindo-o com a consciência pura. Certo é que ninguém espera este espírito de Deus, só esperam por Jesus que não voltará, esperam que Maria intercederá por eles, esperam no perdão de Deus, mas não reconhecem o espírito de Deus neles.

Eis, eu, aqui hoje, vos apresento o espírito de Deus em cada um de vós, é para este espírito que as nossas consciências têm que se voltar, fazer dele o senhor delas, respeita-lo como esposo, como o filho de Deus, se inteirar dele, fazer dele a sua pessoa, gestá-lo por sua consciência. Ele veio de Deus e voltará a Deus, mas será triste, muito triste, se a tua consciência não for com ele e ficar aí esperando por Jesus que não virá. Jesus andou por este espírito, ele se faz o nosso irmão e não o nosso salvador, quem nos salva é Cristo, este espírito que já nos dá a vida. Cristo é a unidade de Deus em cada um de nós, é este espírito que já nos dá a vida, ele já está em nós, não precisamos esperar por outro ou ignorá-lo como os judeus fazem, esperando por um que não virá. O próprio Jesus disse: o espírito é o que vivifica, a carne para nada se aproveita. As nossas consciências devem se relacionar com este espírito, pois ele é a vida eterna delas. Se o espírito voltar a Deus sem a tua consciência, ela vai cair no vazio eterno sem volta.

Todas as consciências estão dormindo e vão morrer sem saber o que vieram fazer neste mundo, e eu estou aqui para acorda-las, acorda-las para o propósito do Criador Deus. Sequer as consciências sabem que são o fruto produzido pelo ser humano, o fruto que sustenta a Deus, o fruto proibido que elas comeram e que não deveriam ter comido. Este fruto, a consciência, deve se desprender da carne e se prender no espírito de Deus, pois ele é a vida eterna dela, a carne vai morrer e joga-la no vazio. O que posso fazer é introduzir essa história a você, mas quem faz a história de cada um é cada consciência, eu só conto o prefácio da história que Deus escreveu a cada um de nós, mas quem tem que viver a história é cada consciência.

Por O teu espírito diz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × dois =

Categorias

Postagens Rescentes