Quietação

Não se trata apenas de juntar letras para que a poesia brote, mas a intenção é movimentar o interno de tal forma que faça com que a ação seja vista além do externo, porque o natural que é configurado do lado de fora pode modificar corações, como se diz: uma ação vale mais que mil palavras, mesmo sabendo que a letra mata, e o espírito é quem vivifica, porém, se as águas que penderem do céu forem recebidas e guardadas no reservatório do âmago de maneira cuidadosa, com afeto, dando o valor devido, tornando-se copiosamente, em sílabas ditadas a si mesmo, onde se forma a frase “o amor vence naquele que o compreende”, estas sim farão todo o sentido, mesmo sendo redundante, porque a compreensão traz a quietação feito mar calmo, que se completa com suas ondas as quais fazem deitar a areia, pondo-a em seu devido lugar, deixando grão sobre grão. É quando percebe que a imensidão que há dentro de ti, é muito maior que a imensidão que nos cerca neste lugar fugaz e que a tua consciência é óvulo celeste aguardando o zigoto eterno adentrar-te para que seja por toda a eternidade. Só se é, se for eterno, o que é efêmero não se é, porque mesmo que hoje seja, amanhã não permanece.

 

Por Patrícia Campos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − dez =

Categorias

Postagens Rescentes