Ah! Como eu queria…

Quem dera eu fosse como um passarinho livre, leve, solto, que voa sem amarras, que parece deslizar pelo céu fazendo seu caminho, cantando a sua liberdade, dependendo apenas de Deus seu Criador e de mais ninguém! Como eu queria ser como as crianças inocentes, puras, sem maldades no coração, sem más intenções! Ah! Como eu queria ser aquela criança que o pai levanta no colo, põe em cima do muro e diz: pula meu filho! E a criança sorrindo se joga com toda confiança nos braços do pai!
Como eu queria sair por aí sem destino, sem paradeiro certo, sem carregar ninguém no pensamento, no coração, um andarilho sem nome, sem bagagem, que não carregasse saudade, tristeza e nem tão pouco a solidão. Um solitário a vagar na beira da estrada sem documentos e sem localização! Um coração a caminhar sem o faraó para lhe açoitar, sem o Egito a lhe importunar, só a brisa do mar a lhe direcionar!
Ah! Como eu queria saltar, pegar impulso e voar, voar para o alto e sentir a mão divina a me amparar, largar dessas correntes e nunca mais ouvir o som do lamento! Ah! Como eu queria…

Por Maria Lúcia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + 2 =